Café!Café!Café!

Um blog sobre… o que mesmo?

Arquivo para a Categoria "Café e História"

20 maio 2017
Comentários desativados em O “outro mundo” do café é agora!

O “outro mundo” do café é agora!

Vou contar só para você.

Veja só a minha vida… Falando profissionalmente, eu já atuei com doulagem de parto e terapias corporais. Fui dona do restaurante vegetariano e macrô. Durante e depois disso, estudei para atuar como professora em escolas de Niterói, RJ, e como educadora ambiental no RJ, RN, PE e PB. Virei dona da cafeteria Dom Café e, enquanto isso, continuei os estudos em permacultura, agrofloresta e bioconstrução. No meio deste longo caminho de tantas transformações, descobri que eu escrevo. E gosto do que escrevo. Tanto assim, que me dedico a produzir conteúdo para um diversificado e significativo número de blogs.
Parando para avaliar os tantos anos de estudos e atuações profissionais em campos tão diferentes, cheguei à conclusão que, no fundo, sempre lidei com questões tipo empoderamento, liberdade e autonomia, completude e consciência, cuidado e respeito. Em se tratando tanto de gentes, quanto de ambientes.

Mas, aí…

Ah, o café especial me agarrou pelo estômago… e pelo coração! Foi em 2011 que entrei de cabeça nesse universo!
O nome ‘Especial’ é só um nome que inventaram, sabe?, simplesmente para que essa bebida pudesse se diferenciar da ‘outra’. Sabe o café tradicional?, então…  aquele que é maltratado, que vale pouco, que mantém agricultores na miséria e torrefadoras multimilionárias. Aquele que polui o solo, que foi propulsor da escravidão e da devastação das matas e da degradação dos solos durante séculos… então, o café especial não é nada disso, ele segue o caminho contrário!

Quem entender q diferença? Clique na foto e o link te leva aos nossos eventos!

Quer entender a diferença? Clique na foto e o link te leva aos nossos eventos!

Pensando bem, o café especial é especial, sim. Esse ‘novo’ café faz com que cada bebida seja uma homenagem à inteligência e ao paladar das pessoas, com muito respeito ao planeta. E isso faz dele especial MESMO, algo fora dos padrões, que traz vantagens extras e que tem um propósito particular: mudar o mundo!

Enfim, agora eu também sou desse universo. O do café que é baseado na percepção ambiental e social, que lida com sustentabilidade e comércio justo. Do grão que é amado por quem produz e que é tratado bem, para chegar na sua xícara um verdadeiro manjar dos deuses, uma bebida que é alimento para o corpo e a alma. O amor abraça a todos que estão nesta cadeia produtiva, e isso faz do café especial ser mais especial ainda!

Mas até chegar nesse novo mundo do café especial eu viajei muito. Física e mentalmente. E foi, ó, mó viagem! Imagina rodar seis estados em um fusca 72, o agora conhecido como FusCafé!?!
Entre as viagens físicas e mentais (e gustativas!) foram investidos três árduos anos de muitos estudos.  Busquei locais de aprendizados e mestres, conheci lugares, pessoas e mil ‘culturas brasilis’, e degustei MUITOS cafés também, claro!

Depois de rodar tanto pelo nosso país em busca de sabores e saberes do café, acabei me tornando cafeóloga, barista, classificadora e degustadora COB e SCAA, atividades que exerço com muita paixão. Depois disso, criei minha nova empresa, a Café!Café!Café!, e agora atuo com pequenos produtores, implementando programas para a qualidade do grão (e não a quantidade!), suporte para finalização de produto e também para a entrada de mercado (que ainda não percebe os pequenos!). Presto assessoria também aos empreendimentos urbanos como cafeterias, hotéis e restaurantes, aqueles que percebem que uma boa experiência numa xícara faz suas marcas serem lembradas e amadas!

Pelas viagens em busca dos #cafésdoBrasil, descobri-me também como uma espécie de Coffee Hunter, isto é, uma “caçadora de cafés”! E foi por conta das tantas delícias e tantas gentes que amam de verdade o que fazem e o café que produzem, que montei o projeto Cafeoteca do Brasil, uma grande vitrine para quem tem pouco acesso ao mercado consumidor. A Cafeoteca do Brasil já esteve fixa em duas cafeterias em Niterói, mas continua livre-leve-e-solta por aí, buscando parcerias para apresentar as delícias que o nosso solo produz e poucos conhecem!

Por conta de tantas visões e experiências distintas em meus horizontes profissionais, descobri que eu caminho totalmente contra corrente (porque será que o que é ‘diferente’ incomoda tanto?). Mas foram justamente as adversidades que me deixaram com mais vontade de mostrar a todxs sobre o que estou falando!
Bem, entrei nesse universo cafeinado buscando unir pessoas produtoras e consumidoras, do mundo rural e do urbano, num único objetivo: trazer mais consciência, saúde e prazer a cada xícara. E continuo viajando e buscando conhecer e “colecionar” bons cafés. Enquanto isso, o FusCafé roda e roda por ai e a Cafeoteca do Brasil é ampliada, enquanto dou consultoria, palestras e cursos para quem deseja entender um pouco mais desse universo de saúde e prazer cafeinados. Ah, e também vou quebrando uns paradigmas aqui, outros ali… um trabalho de formiguinha…

Pensando bem, este tal café especial também é uma forma de cuidado, de empoderamento, de liberdade e de auto cuidado, de completude, consciência e respeito, como tudo aquilo a que sempre me dediquei na vida. Ah, então eu estou no caminho certo! Que bom!

Só se torna possível aquilo que tem condições de existir, surgir ou realizar-se. E o potencial de fazer e/ou revelar o novo já está por aí. Eu acredito nisso e continuo firme em meu propósito: mostrar que o café é muito mais do que aquilo que nossos olhos veem dentro da xícara.

“Mãos à obra!” é o que me digo todos os dias! Bora cafeinar o mundo e sacudir essa mesmice que assola o planeta! O “outro mundo possível” é AGORA! Partiu café? Xáé!

As viagens do FusCafé, que agora é Turismo Cafeinado!

As viagens desta cafeóloga e seu FusCafé, que agora é Turismo Cafeinado!

03 fev 2015
1Comentário

Os Cafés artesanais e seus sabores

Um café artesanal é aquele que é produzido geralmente por pequenos agricultores familiares. A forma de produção em pequena escala e o cuidado diferenciado na pós colheita elevam a qualidade da bebida final e muitos nutrientes são mantidos na torra artesanal. Assim, o café ganha sabores e odores que alavancam a bebida à categoria de gourmet ou de especial, dependendo da análise técnica gustativa. Com isso, o cafeicultor fica com um produto de melhor valor agregado e o apreciador exigente e antenado passa a garantir não só mais benefícios para si, mas também a permanência desse produtor e sua família na área rural.

A carioca Moni Abreu, cafeóloga e proprietária da empresa Café!Café!Café!, atua no campo dando orientações aos cafeicultores para que eles atinjam um produto com padrão de qualidade internacional. Além da assessoria no campo, a especialista em cafés especiais, que já atua há 3 anos na área, dá suporte a cafeterias e empresas interessadas em adquirir cafés de qualidade produzidos no Brasil, e confirma: “Os Cafés do Brasil estão aí, pra quem quiser descobrir toda a maravilhosa diversidade de sabor que vem encantando os estrangeiros. Basta provar um, e você nunca mais vai duvidar de que existem cafés e ‘cafés’.” Se você ainda não teve um encantamento gustativo, a hora é agora!

A Café!Café!Café! servirá delícias no evento “Jorge Amado e seus sabores”, que vai acontecer aos sábados e domingos, de 31 de janeiro a 1º de março, das 16h às 20h, no Museu Janete Costa de Arte Popular, no Ingá. O evento apresentará também outros deleites gastronômicos, além de muita música, literatura e oficinas para adultos e crianças. E fica um desafio, para você pesquisar: quem produz o seu café? Uma dica: você não vai achar esse dado no rótulo das grandes marcas do mercado.”

jor

 

 

(artigo produzido por Moni Abreu para as mídias locais visando promover o evento)

31 mar 2013
2Comentários

A cidade de Vassouras e o Café

Vassouras, no seio do Vale do Café Sul Fluminense, vassouras 1883no RJ, é a cidade dos Barões do Café. Todos os cantos respiram ainda esta história de exuberância, poderio e declínio. Da prefeitura ao fórum, do hotel à Casa de Cultura, todas estas e outras tantas estruturas foram construídas com a riqueza deste ouro verde há mais de 150 anos atrás e estão lá, mantidas e conservadas para que possamos nos lembrar deste passado glorioso.

vassouras3Várias fazendas de café centenárias abriram suas portas aos turistas e hoje são alvos de visitação o ano inteiro, tanto pelos amantes da história deste país, quanto pelos amantes do café. A cidade também participa, há alguns anos, de dois eventos de grande porte com o tema café: o “Café, Cachaça e Chorinho” e o “Festival do Vale do Café”.

 

Mas e o café? Bem, do café, mais precisamente da produção deste fruto que vira grão, que vira bebida e que todos apreciam, pouco ou nada sobrou. E a cidade parou no tempo em que café era somente commodity. Tem em cada loja, boteco, restaurante ou padaria, uma garrafa térmica ou, em outras formas de serviço, aquele “cafezinho” do mais tradicional possível. A cultura da bebida local resume-se a isso. Foi difícil achar um lugar que tivesse um café gourmet.

Salvou-me a livraria local, a Cia do Livro!  A cafeteria dentro da loja possui um espaço muito bacana e o Café Faraó é tirado em máquina automática. Nada muito “ohhhh”, mas diante da perspectiva de tomar café açucarado, de garrafa térmica e do suuuper tradicional, isso foi um… digamos… avanço. Eles estão de parabéns pela visão de futuro. Um dia ainda vou oferecer-lhes um café verdadeiramente especial!

Espero que empreendedores possam ver as grandes possibilidades futuras na área do café e venham a melhorar e aumentar a visibilidade desta linda cidade, acrescentando a ela um quê de modernidade. Pelo menos no aumento da oferta de cafés de qualidade, mudando aos poucos a cultura do sabor do café, e trazendo pra cidade, consumidores e amantes de café de todo o mundo. Que estes venham não só pela historia, mas pelo café em si!